O Marco Civil depois de 1 ano

  • avatar Anna Carolina Papp
    É repórter de Economia do jornal O Estado de S. Paulo, tendo passado anteriormente pelo Link, caderno de tecnologia e cultura digital do veículo. Como Trabalho de Conclusão de Curso na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, escreveu um livrorreportagem chamado 'Em nome da internet – os bastidores da construção coletiva do Marco Civil'
  • avatar Fabricio Solagna
    Doutorando em sociologia pela UFRGS. Foi coordenador-executivo do Gabinete Digital do Rio Grande do Sul. Consultor em metodologias de participação digital para o site Participa.br e realizou sua pesquisa de mestrado sobre o Marco Civil da Internet
  • avatar Fabro Steibel
    Pós-doutor pela Universidade das Nações Unidas, no Centro de Governança Eletrônica, e doutor pela Universidade de Leeds, em Comunicação. É também Coordenador-Geral de Projetos no ITSrio.org e professor de comunicação digital na ESPM Rio. Fabro foi o relator independente do 2o Plano de Ação Nacional do Brasil, contratado pela Parceria de Governo Aberto, e é fellow em governo aberto pela OEA.
O MCI teve grande notoriedade no ano de 2014, ano de sua aprovação. Isso aconteceu mais de cinco anos depois da primeira consulta do MCI,no Culturadigital.br, plataforma livre e aberta do Ministério da Cultura. Considerando que a lei teve como um dos pontos de partida o Forum Internacional de Software Livre (FISL), e que passou ainda por um longo processo de tramitação no Congresso Nacional, este painel traz para o debate trabalhos acadêmicos que analisaram os diversos momentos até a aprovação da lei e apresentam avaliações sobre os aspectos legais, o ativismo, as disputas políticas e questões resultantes da aprovação da lei.


Fabricio Solagna realizou sua pesquisa de Mestrado em sociolgia na UFRGS sobre o processo de agenda e aprovação do Marco Civil. No seu trabalho acadêmico dedicou-se a mapear as diversas redes de suporte ao MCI. Além de pesquisador, também trabalha como consultor em metodologias de participação digital para a Secretaria Geral da Presidência da República.

Fabro Steibel tem 10 anos de experiência em comunicação, governo
aberto e liberdade de expressão. Publicou diversas pesquisas sobre a
consulta pública do Marco Civil no Culturadigital.br, e criou
plataformas de consulta com outras tecnologias. É o relator
(pesquisador independente) da Parceria de Governo Aberto, auditando o
2o Plano de Governo Aberto do Brasil. É fellow de governo aberto da
OEA, professor de comunicação digital na ESPM Rio, e Coordenador Geral
de Projetos no Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro,
trabalhando com a equipe que coordenou com o Ministério da Justiça a
primeira consulta do Marco Civil.